INSTITUCIONAL Proposta Pedagógica

PROPOSTA PEDAGÓGICA

FUNDAMENTAÇÃO

Proposta

A concepção pedagógica do Colégio Ápice está apoiada em perspectivas que trazem soluções para a formação do aluno. Baseada em pressupostos socio-interacionistas, nossas propostas apresentam-se voltadas a formação do aluno como cidadão consciente, desenvolvendo seu senso crítico junto a valores como cidadania, respeito, cooperativismo e solidariedade.

INTERACIONISMO

Interacionismo

Tal perspectiva teórica remete a interação entre indivíduo e cultura. De acordo com Vygotsky, o indivíduo se desenvolve por meio de interações com os grupos sociais dos quais faz parte. Seu desenvolvimento se dá, em primeiro lugar, entre as pessoas (relações intrapessoais). Apoiado nesta concepção, o Colégio propõe atividades cujo objetivo é estimular o aluno a estabelecer trocas com seus grupos sociais: família, professor, colegas, vizinhos, entre muitos outros.

Vale considerar que, para Schneuwly e Dolz, uma teoria social do ensino e aprendizagem enfoca influências sociais a que os alunos estão submetidos, ao mesmo tempo em que leva em conta as características do lugar social no qual as aprendizagens se realizam: a escola. É nesse sentido que o COLÉGIO ÁPICE procura valorizar os modelos retidos dos estudantes e, a partir deles, incentivar a interação entre professores e alunos, professores e pais, escola e comunidade,

Considerando a Zona de Desenvolvimento Proximal, de Vygotsky, iniciamos o processo de ensino-aprendizagem com uma seção chamada Ponto de Partida, cuja principal função é ativar os conhecimentos prévios dos alunos sobre os conteúdos a serem abordados. Dessa forma, o docente deve planejar a sua aula a partir do que os alunos já sabem e posteriormente expandir o conhecimento dos mesmos.

Nossa proposta pedagógica também aderiu a algumas contribuições de Piaget, acerca da teoria interacionista, relacionadas ao desenvolvimento infantil. Para o autor, a criança é um ser dinâmico, ou seja, em constante interação com os grupos sociais com os quais convive. Essa interação é rsponsável pelas estruturas mentais, tão importantes para o funcionamento de seu raciocínio. Segundo Piaget, a interação ocorre por causa de dois processos paralelos: a organização interna do indivíduo e a adaptação ao meio em que vive. Esta ocorre por assimilação e acomodação, sendo que os estágios de desenvolvimento dependem da maturação (crescimento físico dos órgãos), da exercitação (funcionamento dos esquemas e órgãos que implica na formação de hábitos) e da aprendizagem social (valores adquiridos, costumes, padrões culturais e linguagem). Já a equilibração promove estabilidade entre a assimilação e a acomodação, constituindo um processo de autorregulação do organismo após um desequilíbrio. Com base nesse princípio, o COLÉGIO ÁPICE propõe aos alunos atividades desafiadoras, que provocam “desequilíbrios” e promovem a construção do conhecimento. Dessa forma, eles são respeitados como seres dinâmicos e protagonistas de seus próprios processos de aprendizagem. Aprendem conforme a interação com o meio e as pessoas com quem convivem. Assimilam o estímulo do novo conhecimento, que passa por um processo de acomodação e logo encontra o equilíbrio. Esse processo se repete ao longo de seu desenvolvimento.

INTERDISCIPLINARIEDADE

Interdisciplinariedade

Este princípio fundamenta-se no esforço para superar a visão fragmentada do conhecimento, pois o saber é uma totalidade de conteúdos que se entrelaçam para formar o todo.

É interessante perceber que a palavra interdisciplinariedade demarca, em si mesma, conotação ambígua. Observe: separa-se o conhecimento em partes (disciplinas) para torná-lo mais compreensível. Na tentativa de compreender os detalhes, perde-se o sentido geral e global dos mesmos.

Não existe interdisciplinariedade sem disciplinas. Entende-se por disciplina o conjunto específico de conhecimentos que possui objeto de estudo, esquema conceitual, vocabulário especializado e, ainda, conjunto de postulados, conceitos, fenômenos particulares, métodos e leis próprios.

É preciso haver um respeito entre as disciplinas. O problema é que são feitos recortes nos conteúdos que não permitem compreender a sua especialidade.(Ivani Fazenda)

A interdisciplinariedade se refere , primariamente, a algum tipo de vínculo entre diferentes disciplinas. No entanto, podemos perceber que a questão da interdisciplinariedade tem menos a ver com interdisciplina e mais com interação entre profissionais ou cientistas de diferente disciplinas.

A exigência interdisciplinar impõe a cada especialista que transcenda sua própria especialidade, tomando consciência de seus próprios limites para acolher as contribuições das outras disciplinas.(George Gusdorf)

O que está em jogo, enfim, não é a ciência, nem o conhecimento, nem a realidade como abstração e, sim, o homem numa particular forma de relação com o poder. Quem interage são as pessoas, que o fazem para multiplicar seu conhecimento disciplinar, agora insuficiente. E multiplicar conhecimento disciplinar significa, dentre outras coisas, multiplicar poder. No fundo, como já fora dito anteriormente, por se tratar de uma questão de interação e não de uma questão interdisciplinar, é que a prática interdisciplinar gera tantas adesões, resistências e conflitos.

Na perspectiva escolar, a interdisciplinariedade não tem a pretensão de criar novas disciplinas ou saberes, mas de utilizar o conhecimento de várias disciplinas para resolver um problema concreto ou compreender um fenômeno sob diferentes pontos de vista. Em suma, a nterdisciplinariedade tem uma função instrumental. Trata-se de recorrer a um saber útil e utilizável para responder às questões e aos problemas sociais contemporâneos.(PCN. MEC – BRASIL, 2002, p. 34 – 36.)

A interdisciplinariedade é o melhor caminho para se transmitir conteúdos e valores numa sociedade em constante transformação. No entanto, muitas vezes esbarra na estrutura tradicional, de disciplinas isoladas, sem ligação umas com as outras. Diante disso, o COLÉGIO ÁPICE proporciona aos docentes inúmeras possibilidades de entrelaçamento entre os saberes, dando-lhes consciência de que fazem parte de um mundo muito mais complexo. Segundo Ivani Fazenda (1996:14), perceber-se interdisciplinar é o primeiro movimento em direção a um fazer interdisciplinar e a um pensar interdisciplinar.

PENSAMENTO COMPLEXO

Pensamento Complexo

Completa-se com a ideia da interdisciplinariedade: as partes pertencem ao todo e o todo, por sua vez, supera as partes. Portanto, precisamos olhar com atenção o todo e as partes. Segundo Edgar Morin (sociólogo de formação, nascido em 1921 na cidade de Paris), Devemos contextualizar cada acontecimento, pois as coisas não acontecem separadamente. Os átomos surgidos nos primeiros segundos do Universo têm relação com cada um de nós.

O COLÉGIO ÁPICE possibilita aos professores trabalhar um mesmo conteúdo sob vários olhares, em diferentes contextos e ainda a utilizar as áreas do conhecimento aparentemente distantes.

O pensamento complexo está pautado no princípio da dialógica, que compreende ideias contrárias sem excluí-las. É o conhecimento voltado para um saber que nos permite reconhecer as incertezas de sua origem e seus limites lógicos. O que eu sei, do que eu sei?(Edgar Morin)

Tal pensamento não se enquadra em sistematizações, portanto, cabe ao docente, com base em seu conhecimento sobre aprendizagem, desenvolvimento humano e interdisciplinariedade, além de toda a preparação oferecida por esta Instituição, trabalhar com os diversos materiais e recursos disponíveis de forma diferenciada, acarretando em enormes ganhos para sua própria aprendizagem e também para a de seus alunos.

MATERIAL DIDÁTICO

Material Didático

MATERIAL APOSTILADO DO SISTEMA DE ENSINO DOM BOSCO

Toda propostapedagógica do COLÉGIO ÁPICE fundamenta-se na construção do conhecimento e formação de valores. O aluno, ao mesmo tempo em que constrói, apropria-se dos saberes produzidos pelo próprio homem através dos tempos. Relacionando-se a esta metodologia é que o COLÉGIO ÁPICE adotou um material didático e o acompanhamento pedagógico do Sistema de Ensino Dom Bosco, cuja abordagem é sócio-interacionista e adequa–se a nossas propostas ao longo dos diversos ciclos do processo de ensino-aprendizagem.

Os conteúdos são introduzidos pelo professor de maneira dinâmica, através de jogos e brincadeiras que estimulam o aluno a pensar, desenvolvendo-o como um indivíduo crítico capaz de solucionar racionalmente os problemas e de transformar a própria realidade em que vive.

É importante ressaltar que o material Dom Bosco dá autonomia para a Escola, possibilitando que a mesma possa elaborar seus próprios projetos com o intuito de propiciar ao aluno a oportunidade de melhor conscientizar-se e expressar suas idéias, compartilhando suas emoções com os colegas e com os professores.

A fase da Educação Infantil, das descobertas e brincadeiras, pede um material didático que estimule a lógica e a criatividade individual das crianças. A coleção Vamos Brincar? traduz o aprender brincando por meio de ilustrações e atividades interativas que despertam o conhecimento.

O material destinado ao Ensino Fundamental foi planejado de forma a conduzir o aluno a compreender os textos e realizar atividades com autonomia. Sua concepção fundamenta-se em propostas estimulantes e modernas de aprendizagem: trabalhos em grupo, solução colaborativa de problemas, promoção da criatividade, melhoria da capacidade de decisão e apreensão de conteúdos. O material deste ciclo estudantil tem uma proposta fundamentada no protagonismo do professor e do aluno, desenvolvendo as várias formas de competências e habilidades por meio de atividades que não se restringem à sala de aula.

O novo material do Ensino Médio, por sua vez, permite a adequação do aprendizado a todos os tipos de vestibulares, às diversas formas de organização escolar e aos diferentes currículos e projetos pedagógicos.

Logo Pearson Logo Dom Bosco